INSTITUCIONAL
MENSAGEM DO PRESIDENTE

É hoje inequívoco que os desafios para um novo paradigma da competitividade, obrigam a uma maior capacidade académica, científica e tecnológica dos recursos humanos do país, das empresas e à necessidade de criar uma maior competitividade dos nossos sistemas de ensino, formação profissional e educação ao longo da vida. Implica também a capacidade de desenvolver uma nova cultura empresarial baseada na inovação, na competência e no empreendedorismo e uma administração pública magra, ágil e flexível onde o espírito de missão e de serviço sejam reencontrados. O futuro está nas Regiões que percebam a importância decisiva de posicionar a sua estrutura produtiva na fronteira do conhecimento.

A competitividade dos países e das regiões assenta hoje na qualidade e rapidez da informação, no conhecimento e na competência dos seus recursos humanos e por isso os factores de competitividade decisivos passaram a ser a inovação, o desenvolvimento tecnológico, a capacidade estratégica e de organização das pessoas e das empresas. Nesse sentido, uma rede de PCT´s é um elemento essencial da organização do I+D+i, promovendo sinergias que potenciam o crescimento dos investimentos realizados. Será pois importante implementar um conjunto de infra-estruturas, funcionalidades e serviços, procurando dar resposta a um conjunto diversificado de problemas. A preponderância do conceito de espaço lógico sobre o conceito de espaço físico, provém da necessidade de dotar os PCT da necessária operacionalidade funcional para dar resposta aos factores que limitam a competitividade das empresas no contexto da Região Norte, em particular as PME's, visando nomeadamente:

  • Garantir a constituição de um instrumento de apoio ao desenvolvimento e à modernização do tecido empresarial do Norte de Portugal, fomentando a articulação entre este tecido, as infra-estruturas tecnológicas e o sistema de ensino superior e I&D nacionais;
  • Permitir a difusão no tecido produtivo e no aparelho de formação superior de boas práticas, para estimular a função empresarial e a criação de empresas robustas, de forma descentralizada, capazes de competir no mercado global.


A materialização de uma rede de Parques de Ciência e Tecnologia na Região do Porto e Norte de Portugal, incluindo incubadoras empresariais, sucessivamente adiadas ao longo dos últimos 18 anos, está finalmente a ser concretizada, e com sucesso, fundamentalmente pelo trabalho desenvolvido pela PortusPark nos últimos oito anos. Durante este tempo foi possível criar e perspectivar o desenvolvimento de uma rede, pela qual toda a equipa da PortusPark sente um orgulho legítimo.

A todos os que nos têm ajudado, o nosso obrigado sincero.